Consumo de alumínio: confira dados do 1º trimestre de 2022

  1. consumo de alumínio

O consumo de alumínio é influenciado por diversos fatores, e isso pode ser notado em um comparativo dos últimos anos.

O alumínio é um metal muito utilizado em projetos elétricos, fabricação de eletrodomésticos e ainda na construção civil. Assim, em teoria, a procura por essa matéria-prima deveria sempre ser alta.

Porém, a guerra na Ucrânia e a pandemia impactaram diretamente no consumo geral da população e na demanda de alumínio. Com isso, nos últimos 3 anos, observamos uma queda no consumo de alumínio e até mesmo na importação do metal.

Segundo a ABAL (Associação Brasileira do Alumínio), o consumo de alumínio no Brasil vem caindo nos últimos trimestres. O motivo disso é principalmente a redução do poder de compra da população e também uma menor oferta do produto.

Para você entender melhor como tem sido o consumo desse material, vamos apresentar os dados dos últimos trimestres no Brasil.

Consumo de alumínio extrudado

O alumínio extrudado é um dos subprodutos do metal mais utilizados na construção civil e assim muito procurado. Ainda assim, o segmento sofreu queda nos últimos trimestres.

Segundo a pesquisa da ABAL, o primeiro trimestre de 2022 sofreu uma redução de 5,4% no consumo de alumínio extrudado em comparação com o mesmo período de 2021.

Por ser um material mais utilizado na construção civil, essa queda pode ser um reflexo de todo o setor.

Com aumento nos preços de materiais de construção, mão de obra e redução do poder de compra, muitos clientes têm pausado seus projetos. Assim, a compra de produtos também sofre com essa pausa.

Porém, quando comparamos o consumo de alumínio extrudado com os outros subprodutos, notamos que a queda foi uma das menores. Você poderá observar esse comparativo abaixo.

Consumo de alumínio em outros segmentos

Dentro dos segmentos de maior consumo de alumínio, os que menos sofreram queda foram o setor de transporte (3,9%) e extrudados (5,4%). Os outros setores tiveram redução bem mais significativa.

Como é o caso do segmento de eletricidade que apresentou uma queda de 33,5%, bens de consumo sofreu redução de 18,4% e embalagens 8,6%. Tudo isso devido aos períodos de retração da economia, redução da demanda e ainda mudança no perfil dos consumidores.

Quando comparado com os outros segmentos podemos notar que a queda apresentada no consumo de alumínio extrudado não é algo tão grande. Além disso, a expectativa é que ainda esse ano ocorra uma mudança nesse perfil de consumo.

Expectativa de consumo de alumínio extrudado em 2022

A prospecção é de que a partir do segundo trimestre o consumo de alumínio extrudado e em geral cresça. Nesse cenário mais otimista, a análise do ano poderá ter uma queda de apenas 2% em comparação ao ano de 2021.

Para alcançar essa marca é preciso que haja uma reação do mercado de alumínio nos próximos trimestres. Isso compensará as quedas dos últimos meses e ajudará na recuperação do setor.

Ainda com o cenário de queda no consumo, o setor de produção do metal apresentou superavit no primeiro trimestre de 2022. O responsável por esse feito são as exportações de alumina e hidróxido de alumínio.

Seguindo esses dados, os ganhos com o aumento do consumo de alumínio serão ainda mais significativos.

 

Posted in:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.